Dedos falsos ajudam ex-mafiosos japoneses a se integrar à sociedade

A principal forma de punição dentro da Yakuza, a máfia japonesa, é a amputação de dedos da mão. Geralmente, o primeiro a ser cortado é o mindinho da mão esquerda. Por isso, ex-membros da organização criminosa são facilmente reconhecidos e sofrem preconceito quando tentam se integrar à sociedade.

Antigamente, para tentar disfarçar, os ex-mafiosos andavam com os punhos fechados e raramente abriam a mão. Agora, com a ajuda do protesista Shintaro Hayashi, eles estão conseguindo viver em família, com novos empregos e sem precisar revelar o passado.
Hayashi é dono da empresa Aiwa Gishi, com sede em Tóquio. Segundo a “ABC News”, ele é o principal fabricante de próteses de dedos. Há cerca de dez anos, ele fabrica dedos falsos de diversos tamanhos e cores.

A prótese não é barata, custa cerca de US$ 3.000 (cerca de R$ 6.400), mas faz sucesso entre ex-membros da Yakuza e atuais mafiosos que precisam disfarçar a atividade durante eventos públicos.
“Chega a um ponto em que eles não conseguem mais esconder os dedos. Muitos têm mais de um dedo amputado”, afirmou Hayashi à “ABC News”.

Durante 20 anos na Yakuza, Shigueru Takei precisou amputar os dois mindinhos. Quando saiu da máfia, tentou arranjar um emprego, com a ajuda da mulher, mas a falta dos dedos o impedia de conseguir um bom trabalho.
Finalmente, quando comprou a prótese, Takei arranjou um emprego. Agora, durante quatro vezes no ano, ele passa na empresa de Hayashi para retocar a prótese.”Tiro os dedos assim que chego em casa e fico sem eles nas minhas folgas”, contou.

 

dedos

 

Fonte: ABC News

http://abcnews.go.com/US/prosthetic-fingers-reform-japans-feared-yakuza-gangsters/story?id=19337750#.UbeUfOeG2K0